segunda-feira, 9 de junho de 2008

A Cozinha Canibal

“A Cozinha Canibal é uma das obras representativas do estilo pânico, cultivado por Roland Topor (1938-1997). Trata-se de um livro de culinária onde se descrevem, com a minúcia do homem prático, suculentos pitéus exclusivamente destinados aos mais finos apreciadores de iguarias. Ao mesmo tempo, neste grotesco mundo que vemos tentacularmente crescer de pernas para o ar, descobrimos nas receitas e conselhos de Topor um alimento necessário à insubmissão.”














Este livro é absolutamente desconcertante; muito bem escrito e com uma “atmosfera” a fazer lembrar Kafka, Boris Vian ou Pasolini, um humor acutilante e requintado como o de Woody Allen, mas corrosivo como o de Alberto Pimenta ou João César Monteiro e talvez chocante para a maior parte das pessoas…

Seguem excertos:

“Maître d’Hotel à la Diable”

“Agarrem no maître d’hotel à bruta e esvaziem-no. Limpem-no bem, rachem-lhe as costas da cabeça até ao rabo e coloquem-no numa grelha bastante quente, sem o deixar pegar. Ponham sobre uma almofada uma noz de manteiga do tamanho da cabeça dele com salsa picada, sal e pimenta. Quando o maître d’hotel estiver grelhado, instalem-no sobre a almofada e sirvam numa poltrona. Podem acrescentar-lhe um cigarro e flamejá-lo com conhaque.”

“Bebé a la Brissac”

Cortem o bebé em fatias não muito grossas; passem-nas por manteiga quente até ganharem cor, depois temperem-nas com alhos e salsa picada, deixem aquecer cinco minutos, polvilhem com uma colher de farinha, e quando a farinha estiver bem misturada com a carne, molhem-na com uma lágrima e copo de leite. Ponham sal e pimenta quanto baste e deixem cozer durante uma hora. Dez minutos antes de servir, acrescentem uma colher de xarope contra a tosse.
Esta maneira de preparar o bebé é excelente, posto que longe de endurecer a alma, amolece-a.”

“Por alguns instantes gostava de dispor da pena de um Brillat-Savarin para elogiar as qualidades de um bom braço de alpinista cozido no gesso.”


Et voilá…

3 comentários:

  1. Não me digas que vais proceder à confecção de algumas destas receitas Cupido? :)
    Desconhecia este livro mas deve ser de um estilo parecido ao arranca corações de Boris Vian, não? Para Boris tenho estomago e adoro... para este teria que pensar duas vezes.

    ResponderEliminar
  2. ameixa, claro que não. O Boris Vian era um tipo genial; para além dos livros adoro a música dele.

    ResponderEliminar
  3. Por favor, este livro foi escrito originalmente em que ano?

    ResponderEliminar