segunda-feira, 11 de Julho de 2011

Bacalhau no Forno | Frei João Reserva 2009

Depois de um saudável convívio de mais de dez anos com o meu forno, com o dito nos ultimos quatro a proporcionar alguns belos assados aqui no blog, resolvi fazer o melhor bacalhau no forno que alguma vez comi. Prescindi dos fieis tabuleiros de barro e usei um singelo tabuleiro de alumínio, no qual deitei uma generosa porção de azeite a cobrir o fundo, alho esmagado e picado grosseiramente, pimenta preta em pó, uma colher de chá de pimentão doce em pó, sal marinho, tomate maduro em rodelas, pimento e cebola em fatias e batatas médias partidas em três. Levei ao forno previamente aquecido a 190º C e fui virando e regando com o molho, até as batatas estarem macias e quase douradas. Altura de juntar lombo de bacalhau demolhado com a pele para baixo e subir a temperatura para os 230º C. Ficou assim até o forno atingir essa temperatura. Depois, virei o bacalhau e deixei uns doze minutos até a pele ficar crocante. O bacalhau ficou um prodígio de sapidez, no ponto, nada seco e as batatas apanharam os sabores todos e alouraram qb. Fantástico e a justificar em pleno aquela velha máxima que diz que os peixes ficam cozidos no segundo em que deixam de estar crus...  


Para acompanhar este bacalhau escolhi um vinho das Caves São João, o Frei João reserva branco de 2009. Recentemente chegado ao mercado, é um vinho com uma relação qualidade/preço fantástica. Cheira e sabe à Bairrada e por cinco euritos a garrafa, é para comprar às caixas. E parece que os tintos midprice estão neste patamar de excelência, como atesta o Rui Miguel.




3 comentários:

  1. É por estas experiências eno gastronómicas que nos dás a conhecer, que coloco o teu blog o meu Top 3!

    O Bacalhau está com um aspecto delicioso... E o vinho muito bem escolhido! Não fez ainda um mês e também servi um bacalhau no forno com um Frei João reserva branco de 2009... Gostei tanto do vinho que não sei se vou aguentar gurdá-lo, e acho que merecia algúm tempo na garrafeira! Já os últimos Frei João reserva tinto que provei, foram uma desilusão... nomeadamente 2005 e 2008!

    ResponderEliminar
  2. Aí está uma execução magistral a que nem faltou a menção a essa máxima tão simples e tão esquecida por tanta gente que estraga peixe em geral e bacalhau em particular, o velho "está pronto no momento em que deixa de estar cru" a aplicação ao peixe do princípio básico da cozinha e de tudo o mais na vida, "nada mais que o necessário, nada menos que o suficiente".
    Numa descrição tão rica e minuciosa, há no entanto um passo cuja utilidade me escapou e se o menciono é mesmo porque me parece que a este nível de excelência e contenção de gesto, foi certamente devido a uma intenção: porquê esse período de aquecimento com a pele para baixo?

    ResponderEliminar
  3. Agora fiquei com uma duvida: resolveste fazer o melhor bacalhau ou constataste que foi o melhor bacalhau que comeste até hoje?
    Duvidas não restam de que ficou excelente, basta ver a foto, que algumas fotos não enganam...
    Achei piada à escolha do tabuleiro.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar