quinta-feira, 7 de julho de 2011

Quinta do Vallado @ Garrafeira Tio Pepe

Mais uma prova na Garrafeira Tio Pepe, desta vez com uma das mais prestigiadas quintas do Douro, a do Vallado, que foi de Dona Antónia e que tem como Enólogo o Francisco (Xito) Olazabal. Provaram-se as colheitas mais recentes.


Começou-se pelo Rosé de Touriga Nacional 2010. Um rosé bem feito, espartano, sem doçura residual e a pedir comida. Interessante. Depois, provou-se o branco colheita de 2010. Um branco do Douro, feito para agradar, agrada. Cumpre e é um belo vinho. Outro colheita, mas agora um varietal de Moscatel Galego. Quase um sumo de uva, mas com o toque do moscatel e muita secura. Um vinho a conhecer que me pareceu excelente para alguns pratos mais exóticos como sushi ou saladas com alguma complexidade. Para acabar os brancos, o reserva 2010. Muito pouco marcado pela madeira, fino e elegante, é um vinho de sonho. Algo low-profile se comparado com alguns monstros do Douro, mas é aí que reside a sua diferença. Não entra logo com tudo, é educado, muito bem educado. Um vinho muito sério e a pedir uma prova atenta e com comida por perto. 


Hora de passar aos tintos. Não provei o colheita, comecei pelo Sousão 2009. Tinto retinto e com uma acidez de branco, parece uma escolha excelente para uma lampreiada ou para um cabritinho no forno. Ainda muito jovem, pode beber-se agora ou daqui a uns anos. A seguir, o Touriga Nacional 2009. Um vinhão!
Para acabar, o reserva 2008. Mais tourigo que o touriga, apesar de apenas ter cerca de um terço de Touriga Nacional (de vinhas com cerca de 20 anos, sendo os restantes dois terços compostos de uvas de vinhas velhas e com castas misturadas) complexo e cheio de garra, já dá prazer a beber, mas o melhor é mesmo dar-lhe um ou dois anos de guarda. Grande vinho, a quase fazer esquecer que o topo de gama, o Adelaide não estava em prova...

1 comentário:

  1. Qualquer dia nomeiam-te o «provador» o------!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar