quinta-feira, 11 de Junho de 2009

Panga, Peixe Gato - riscado ou a riscar?



O texto que transcrevo abaixo anda por aí a circular:


"O Peixe gato ou panga: a nova aberração da globalização 

O panga é um novo tipo de peixe que encontramos sobretudo sobre a forma de filetes, a um preço muito barato(?).O panga é um peixe de cultura intensiva/industrial no Vietname, mais exactamente no delta do rio Mekong e está a invadir o mercado devido ao seu preço.

Eis o que deve saber sobre o Panga:

Os Pangas estão infestados com elevados níveis de venenos e bactérias. (arsénio dos efluentes industriais e tóxicos e perigosos subprodutos do crescente sector industrial, metais contaminantes, bifenilos poli clorados (PCB), o DDT e seus (DDTs), clorato, compostos relacionados (CHLs), hexaclorocicloexano isómeros (HCHs), e hexaclorobenzeno (HCB)).

O rio Mekong é um dos rios mais poluídos do planeta.

Não há nada de natural nos Pangas - Eles são alimentados com peixes mortos restos e ossos de secas e de solo numa farinha, da América do Sul, a mandioca (mandioca) e resíduo de soja e grãos. Obviamente, este tipo de alimentação não sã não tem nada a ver com a alimentação num ambiente natural.

Ela mais não faz do que assemelhar-se ao método de alimentação das vacas loucas (vacas que foram alimentadas com vacas, lembra-se?) A alimentação dos pangas está completamente desregulada.. O panga cresce 4 vezes mais rápido do que na natureza ...

Além disso os pangas são injetados com PEE -alguns cientistas descobriram que se injectassem as fêmeas pangas com as hormonas femininas derivados de desidratado de urina de mulheres grávidas, a fêmea Panga produziria os seus ovos muito rapidamente e em grande quantidade, o que não aconteceria no ambiente natural (uma Panga passa a produzir assim aproximadamente 500.000 ovos de uma vez). Basicamente, são peixes com hormonas injectáveis (produzidas por uma empresa farmacêutica na China) para acelerar o processo de crescimento e reprodução. Isso não pode ser bom.

Ao comprar pangas estamos a colaborar com empresas gigantes sem escrúpulos e gananciosas que não se preocupam com a saúde e o bem-estar dos seres humanos.

Este comercio está a ser aceite por grandes superfícies que os vendem ao público em geral, sabendo que estão a vender produtos contaminadas.

Nota: devido à prodigiosa quantidade de disponibilidade de Pangas, este irá acabar noutros alimentos: surimi (aquelas coisas com pasta de peixe), peixe terrines e, provavelmente, em alguns alimentos para animais. ( cães e gatos!)"


Depois de ter lido algumas patetices em fóruns e blogues, fui ver do fundamento de algumas afirmações do texto. Parece-me que isto foi começado (ou, pelo menos potenciado) pelos pescadores Galegos que referem ter mandado analisar o peixe num laboratório acreditado.

Na verdade, o Parlamento Europeu, depois de ter sido questionado sobre a eventual toxicidade do peixe gato, pediu o resultado das análises (entretanto passaram-se dois anos). A ASAE, ao ser questionada, apenas refere que não é mais perigoso comer panga do que comer outro qualquer produto de aquacultura.

Pronto, é tudo. Se há pessoas que são ingénuas ao ponto de pensarem que se o peixe fosse mesmo tóxico entrava nos circuitos comerciais, bem que podiam procurar informação nos sítios certos. Eu não consumo, como aliás, deixei de consumir as ameijoas vietnamitas, desde que há algum tempo as preparei e sabiam mal...


Já agora, deixo um link para este artigo do El Pais...